Atlas Fasada Grafit

  • Excelente condutibilidade térmica
  • Apto para os Sistemas ATLAS
  • Possibilita menores espessuras
EPS Grafite – a adição de partículas de grafite no processo de fabrico melhora as propriedades térmicas, possibilitando assim espessuras de isolamento mais reduzidas.

Espessura reduzida – menor espessura de isolamento para uma mesma resistência térmica, algo importante quando se trata de edifícios onde a envolvente exterior não permite grandes espessuras de isolamento.

Permeabilidade ao vapor de água – devido à sua estrutura, este EPS possui uma boa permeabilidade.
Sistemas ATLAS – os painéis ATLAS FASADA GRAFIT são produzidos através da expansão de poliestireno, por isso se dá o nome de poliestireno expandido, com a adição de partículas de grafite refinado durante o processo de fabricação. É possível o uso destes painéis em qualquer um dos sistemas de isolamento térmico pelo exterior ATLAS, exceto os sistemas ATLAS XPS e ATLAS ROKER.
ATLAS FASADA GRAFIT é produzido em conformidade com a norma EN 13163 + A:2015-03.
Inspecionar o suporte, promovendo todas e quaisquer reparações necessárias. O suporte deve estar seco, estável, limpo e livre de gorduras. Pode-se efetuar um pequeno teste para verificar as condições do suporte. Com uns cubos de 10x10cm de material isolante, colados aleatoriamente verifica-se a resistência do suporte para a instalação do sistema. Após decorridas 48 horas da colagem dos cubos a resistência do suporte poderá ser comprovada com a tentativa de remoção do cubo. Caso o cubo seja removido com a camada de argamassa de colagem, mesmo depois do suporte reparado, isso significa que o suporte ainda não está apto para seguir com a instalação do sistema. Deve-se, então, procurar saber qual a origem desse problema a fim de se conseguir a correta e adequada reparação do suporte. Se o cubo partir aquando da remoção ficando, a parte que foi colada ao suporte, intacta, então pode avançar com os trabalhos de aplicação. Aplicar a argamassa de colagem no painel isolante segundo o método “Cordão e Pontos”, que consiste na aplicação de um cordão em todo o perímetro do painel com 3cm de largura e ainda 6 a 8 pontos com 8 a 12cm de diâmetro distribuídos uniformemente pelo painel. No total é preciso que a face do painel que recebe a argamassa fique coberta em cerca de 40% da sua superfície, sendo que, após ser pressionado contra o suporte, a superfície de contacto entre o suporte e o painel seja de 60%. É possível efetuar uma colagem integral dos painéis isolantes, desde que o suporte esteja perfeitamente plano e regular. Verificar regularmente o nivelamento dos painéis, com a ajuda de uma régua de nível. Antes de se proceder à execução do barramento armado os painéis isolantes deverão ser lixados com uma talocha com papel abrasivo.
Exposição prolongada – após a colagem, caso exista uma exposição prolongada dos painéis às condições climatéricas é imperativo que, antes da aplicação do barramento armado, os mesmos sejam bem lixados e limpos.

Sombreamento – utilizar as redes de sombreamento, aplicadas nos andaimes, para proteção da incidência direta dos raios solares.

Condições climatéricas – a instalação de qualquer sistema de isolamento térmico não deve ser realizada com condições climatéricas adversas, tais como chuvas e ventos fortes.

Painéis danificados – não utilizar painéis com danos visíveis ou que estiveram em contacto direto com produtos como acetonas e diluentes, pois irão influenciar negativamente o desempenho do sistema.

Transporte e armazenamento – o produto deve ser transportado e armazenado nos embalagens originais. O local de armazenamento deve ser um local seco e sem humidades. Não armazenar sob a incidência direta dos raios solares. Aquando do armazenamento, proteger os painéis contra danos mecânicos e das condições climatéricas adversas.

Validade – não existe um prazo de validade específico, já que sob as condições de armazenamento indicadas o produto mantém sempre as mesmas caraterísticas.